Renault Duster Oroch 1.6 Dynamique

Renault Duster Oroch 1.6 Dynamique

0 Flares Twitter 0 Facebook 0 Filament.io 0 Flares ×

SUV combina praticidade das picapes e conforto dos utilitários

O novo Renault Duster Oroch atinge seu objetivo de dar espaço, conforto de um SUV e caçamba de uma picape. Além disso, ainda resolve alguns problemas de praticidade que suas principais rivais têm.

A Renault Duster Oroch não é uma picape robusta para trabalho, mas oferece bom espaço na caçamba.

A Renault Duster Oroch não é uma picape robusta para trabalho, mas oferece bom espaço na caçamba.

Para facilitar a escolha dos consumidores, a gama de versões é simples: são três, que variam entre R$ 62.290 (1.6 Expression) e R$ 70.790 (2.0 Dynamique). Com motor 2.0 o Renault Duster Oroch não decepcionou, mas o propulsor 1.6 não é tão empolgante assim. Avaliamos a versão 1.6 Dynamique (R$ 66.790) que, mesmo posicionada entre as opções, oferece o melhor pacote de equipamentos. A única diferença entre esta versão e a top de linha é a motorização. Assim, entendemos como o melhor custo-benefício do portfólio.

O que sentimos ao dirigir

O SUV Renault Duster Oroch é um veículo gostoso de dirigir. O 1.6 gera 115 cv e 15,9 kgfm de torque com câmbio é manual de cinco marchas. Durante o trajeto, foram necessárias constantes reduções de marcha nas serras sinuosas, apesar da potência. O motor 2.0, não exigiu tanto do motorista. Caso a Renault não tivesse retrabalhado as relações de marchas, seria ainda mais trabalhoso. Os engates do câmbio são precisos e macios, bem diferente dos de picapes maiores, como Chevrolet S10 e Ford Ranger.

Espaço e conforto de SUV em uma picape.

Espaço e conforto de SUV em uma picape.

Como característica de SUV, ele tem bom espaço para os passageiros. Duas pessoas viajam sem aperto no banco traseiro graças aos 2,82 metros de entre-eixos, 15 centímetros a mais do que o Duster. E para não diminuir os 683 litros da caçamba, o encosto é mais vertical do que estamos acostumados, indo contra o conforto. Já a suspensão traseira multilink, compensa amenizando as imperfeições do solo para os passageiros. Enquanto que o acesso ao banco de trás é mais fácil pelas duas portas traseiras da Renault Oroch do que pela única traseira da Fiat Strada ou pelas duas dianteiras da Volkswagen Saveiro.

Por dentro uma mistura de acabamento simples e refinado.

Por dentro uma mistura de acabamento simples e refinado.

Você só se lembrará da caçamba se ela estiver carregada ou for manobrar. Nas curvas, por exemplo, o conjunto de suspensões faz um trabalho similar ao Duster e a posição de dirigir é mais alta do que nas suas concorrentes menores.

Outro ponto positivo da versão intermediária é mais sentido no dia a dia, já que manobrar uma picape de 4,69 m de comprimento como a Renault Duster Oroch é bem mais fácil do que uma de 5,36 metros, como a S10. De acordo com a Renault, 99% dos consumidores da categoria carregam pouca carga, o que é uma ótima combinação.

Gosto é muito particular, mas alguns detalhes tem históricos de reclamação herdados do irmão Duster. Partindo pelo ajuste dos retrovisores elétricos, que fica posicionado abaixo do freio de mão, passa pela ergonomia do posicionamento da tela multimídia que, além de ser baixa, é ligeiramente inclinada para o assoalho. E por fim, o volante, que tem aro grande demais e pega muito grossa. São itens que os clientes pedem atualização da Renault há tempos.

Custo-benefício

Esse é o grande trunfo desta versão. De série desde a versão básica, a Renault Duster Oroch sempre tem ar-condicionado, direção hidráulica, travas elétricas, rádio com CD, MP3, USB e Bluetooth mais ajuste de altura do volante multifuncional e do banco do condutor. Barras no teto, santantônio e protetor de caçamba estão inclusos no pacote básico. Se você dispor de R$ 4.500 a mais, a versão que avaliamos ganha sistema multimídia, faróis de neblina, controle de velocidade de cruzeiro, retrovisores elétricos, sensor de estacionamento, volante revestido em couro, computador de bordo e acionamento do vidro do motorista com um toque. As rodas são de liga-leve de 16 polegadas.

Versão intermediária aposta em itens de série para superar a concorrência.

Versão intermediária aposta em itens de série para superar a concorrência.

Infelizmente, todas as versões tem poucos itens de segurança: apenas alarme, chave com comando de travamento a distância e os obrigatórios; freios ABS e airbag duplo. Na faixa de preço estipulada, faltam ao menos os controles de tração e estabilidade.

A favor da Renault Duster Oroch, o custo de manutenção é mais próximo das picapes menores do que das maiores. A cesta de peças com dez itens custa R$ 2.881, ou R$ 98 a mais do que os mesmos itens da Strada e R$ 512 a mais em relação à Saveiro. Se comparada às picapes maiores, a diferença é enorme: a Ford Ranger cobra R$ 4.522, enquanto a Chevrolet S10 cobra salgados R$ 6.152 pelos mesmos itens. As revisões até 30 mil km saem por R$ 1.323, valor que também deixa a Renault Duster Oroch entre as picapes menores e as maiores.

É uma boa compra?

Sim. Apesar do motor 2.0 ser mais emocionante, a versão intermediária promete dar conta do uso moderado que boa parte dos consumidores de picapes pequenas costumam apresentar. Agora, Se você for do tipo que dirige constantemente com a caçamba cheia, tente negociar preços melhores para a versão 2.0. A Oroch definitivamente não é um modelo para quem busca toda a robustez que as picapes maiores oferecem, mas supera as picapes pequenas em diversos quesitos, especialmente dirigibilidade e conforto a bordo.

Share